quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Por que é Importante Planejar o Futuro?


Nas últimas décadas a medicina evoluiu bastante, elevando significativamente a expectativa de vida dos brasileiros (IBGE). Como muitos analistas e estudiosos questionam a solvência do INSS e esse só garante uma aposentadoria até determinado teto, é importante utilizar outros instrumentos para garantir uma aposentadoria financeiramente tranquila.


Entre as diversas alternativas, estão os fundos de investimento, os imóveis, as ações, os títulos públicos, os planos de previdência fechada e os planos de previdência aberta. Muitos desses instrumentos são de fácil acesso e possuem vários incentivos fiscais, pricipalmente para investimentos de longo prazo.

A preocupação com o futuro é um tema muito recorrente e nos é apresentada desde a infância. Para exemplificar a preocupação com o futuro, normalmente contamos às crianças fabulas que tratam do assunto. Segue uma versão simplificada da famosa fábula atribuída à Esopo e recontada por La Fontaine, A Cigarra e a Formiga.

"Estava a cigarra, saltitante, a cantarolar pelos campos, quando encontrou uma formiga, carregando um imenso grão de trigo.


- Deixe essa trabalheira de lado - disse a cigarra - Venha aproveitar este dia ensolarado de Verão.

- Não posso. Preciso juntar provimentos para o Inverno - disse a formiga - E recomendo que faça o mesmo.


- Eu, preocupar-me com o Inverno? - perguntou a cigarra - Tenho comida de sobra por enquanto.

A formiga não se deixou levar pela conversa da cigarra e continuou o seu trabalho.

Quando o Inverno chegou, a cigarra não tinha o que comer, enquanto as formigas contavam com seu suprimento de alimentos.

Morrendo de fome e frio a cigarra teve que bater à porta do formigueiro, onde foi acolhida ."

Moral: "Quem não pensa no dia de amanhã paga um alto preço por sua Negligência. Comece logo a planejar, antes que seja tarde!"

Para garantir nossa tranqüilidade financeira no momento que pararmos de trabalhar, podemos contar com 2 (dois) instrumentos de proteção: o INSS (público e compulsório) e os Planos de Previdência Complementar (privado e facultativo). Estes podem ser Fechados (restritos a um grupo específico de pessoas – i.e funcionários de uma empresa como a Petrobrás) ou Abertos (oferecidos pelas Seguradoras à qualquer Pessoa Física ou Jurídica).

Como normalmente não temos como definir a contribuição para o INSS (pois depende da nossa renda) e o Instituto define um teto para contribuição, o mais importante é entender os Planos de Previdência Privada. Além disso, como os Planos de Previdência Fechados não permitem a qualquer pessoa fazer contribuições, focaremos os Planos de Previdência Abertos, que podem ser adquiridos por todos para planejamento da aposentadoria ou qualquer outro objetivo de médio ou longo prazo.

Artigo escrito por Pedro Borges Neto, CFP.