quarta-feira, 13 de julho de 2011

Por que os preços dos imóveis sobem tanto?

O mercado imobiliário brasileiro vive um momento único. Tornou-se corriqueiro o lançamento de novos empreendimentos, o surgimento de novos bairros e até o aparecimento de novos condomínios que até se confundem com pequenas cidades, de tão grandes.

Para chegar até esse ponto, foram necessárias mudanças macroeconômicas relevantes, tais como a estabilização da moeda brasileira (queda da inflação) e a paulatina redução das taxas de juros praticadas no Brasil.

Não podemos deixar de lado algumas mudanças microeconômicas, tais como: criação da alienação fiduciária, que facilitou a retomada de imóveis de mutuários inadimplentes, a nova lei do inquilinato, que aumentou a proteção de proprietários de imóveis destinados ao aluguel.


A combinação de tais mudanças, combinadas com um expressivo aumento do crédito imobiliário resultou na explosão da demanda por imóveis, pois, como sabido, há um déficit histórico de moradias no país e, conforme os axiomas fundamentais da economia, um aumento de demanda não compensado por um aumento proporcional de oferta, implica em aumento dos preços.

Entretanto, ao contrário do que ocorre nas indústrias de bens de consumo e prestação de serviços, a indústria da construção civil não consegue ajustar a oferta de imóveis rapidamente e a explicação para a demora neste ajuste se explica facilmente.

Primeiro, não se fabricam imóveis de um dia para outro. Até a entrega de um imóvel, são necessários anos, desde a compra de um terreno, preparação dos projetos arquitetônicos e de engenharia, aprovação de tais projetos pelo poder público, obtenção de financiamento para a incorporação, a construção propriamente dita, obtenção de habite-se etc. Logo, um empreendimento imobiliário iniciado hoje pode demorar vários anos até ficar pronto.

Além disso, o rápido aumento da construção civil nos últimos anos não foi acompanhado de um aumento da capacidade da indústria fornecedora de material de construção. Neste cenário, já nãoé incomum ouvirmos sobre a falta de material de construção ou o aumento de seus preços.

Diante destes cenários, muitos se perguntam: estamos diante de uma bolha dos preços dos imóveis? Assunto para um próximo artigo.

Artigo escrito por Flávio Girão Guimarães

Outros artigos sobre imóveis: