quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Está na hora de comprar títulos públicos?

Alguns leitores nos perguntam se é hora de voltar às compras no Tesouro Direto. Outros perguntam qual é o efeito do aumento (ou queda) da Selic nos títulos públicos.

Nós do ABC do Dinheiro temos como política não indicar esse ou aquele investimento, tampouco indicar o "momento certo" de comprar ou vender um ativo financeiro. Nossa missão é dar ao leitor as ferramentas para que o mesmo faça as melhores escolhas possíveis, seja em relação aos investimentos, tributação, previdência ou sucessão.

Mas, para não deixar os leitores de mãos abanando, vamos fazer uma pequena descrição dos títulos públicos negociados através do Tesouro Direto e tentar explicar o efeito do aumento da taxa Selic no preço dos títulos públicos.

Atualmente o Tesouro Nacional, através do programa Tesouro Direto, vende os seguintes títulos públicos:

LFT - Letra Financeira do Tesouro;
LTN - Letra Financeira do Tesouro;
NTN-F - Nota do Tesouro Nacional - série F;
NTN-B Principal - Nota do Tesouro Nacional Principal - série B; e
NTN-B - Nota do Tesouro Nacional - série B.

A LFT é um título cujo preço é indexado á variação da taxa Selic.

A LTN é um título prefixado. Ou seja, o valor desse título na data de vencimento é líquido e certo, R$ 1.000,00. Na compra da LTN, o investidor paga um valor menor que o valor do título no vencimento. Tal diferença define os juros que o investidor vai ganhar entre a data de compra do título e o seu vencimento.

A NTN-F é um título semelhante à LTN, ou seja, seu valor é prefixado em R$ 1.000,00 na data de vencimento. Diferente da LTN, a NTN-F rende ao investidor um cupom de juros, pagos semestralmente. Esse cupom de juros é igual a R$ 48,81 (4,89% ao semestre, ou 10% ao ano).

A NTN-B Principal é um título cujo valor nominal é atualizado pela variação do IPCA. Neste caso, ao comprar uma NTN-B, o investidor paga um valor menor que o valor nominal atualizado (VNA). Tal diferença define os juros que o investidor vai ganhar entre a data de compra do título e a data de vencimento. Além dos juros, o investidor receberá a variação do IPCA no período.

A NTN-B é semelhante à NTN-B Principal, ou seja, é um título atualizado mensalmente pelo IPCA. Diferente da NTN-B Principal, a NTN-B rende ao investidor um cupom de juros, pagos semestralmente. Esse cupom de juros é igual a 2,98% do VNA (equivalente a 6% ao ano

Importante ressaltar que para o investidor garantir a remuneração prevista no momento da compra, é necessário que ele fique com o título público até a data do vencimento, pois, alterações nos juros de mercado irão afetar o preço dos títulos públicos dia-a-dia, como veremos adiante.

Agora que já descrevemos os títulos vendidos no Tesouro Direto, vamos explicar o efeito da taxa Selic no preço dos títulos.

O único título público que tem ligação direta com a taxa Selic é a LFT. Justamente por ter o preço indexado à variação da taxa Selic, a LFT. Como a taxa Selic é sempre positiva, podemos dizer que o preço da LFT sempre sobe. Mas, antes de você sair correndo para comprar uma LFT, saiba que a rentabilidade da mesma costuma, no médio e longo prazo, ser inferior à rentabilidade dos demais títulos públicos.

as LTN, NTN-F e NTN-B tem preço determinado de acordo com as taxas de juros do mercado. Quanto maior forem os juros de mercado, menor será o preço dos títulos (e vice-versa). Aumentos na taxa Selic geralmente implicam em aumento dos juros de mercado. Portanto, aumentos da taxa Selic tem como efeito reduzir o preço das LTN, NTN-F e NTN-B. Reduções na taxa Selic, por sua vez, tem o efeito de aumentar o preço de tais títulos.

Mas, é importante que o investidor saiba que as taxas de mercado já refletem as expectativas de mercado. Portanto, um aumento ou uma queda da taxa Selic que já é aguardado pelo mercado não terá efeito algum nos juros de mercado e, consequentemente, nos preços dos títulos públicos, exceto pelo preço da LFT, cujo preço é determinado pela taxa Selic.

Ou seja, comprar e vender títulos públicos é um misto de técnica e arte. Impossível saber exatamente a dinâmica dos preços do momento da compra até o vencimento.

Artigo escrito por Flávio Girão Guimarães.