quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Seguros: o que é risco?

Ninguém gosta de pensar nisso, mas, ao longo de nossa vida, somos expostos aos mais variados riscos. Risco de sofrermos um acidente automotivo, risco de sofrermos um assalto ou incêndio em nossa residência, risco de sofrermos um infarto, risco de perdermos o emprego e por aí vai. Mas, o que exatamente significa a palavra risco?

Em uma definição simples e direta, risco é um evento futuro, incerto e indesejável, que pode trazer consequências de ordem material.

Imaginem o que aconteceria com um taxista que tem o automóvel roubado. Além do prejuízo material, decorrente da perda do bem, o taxista perderá sua única fonte de renda. Se o mesmo não tiver uma boa reserva financeira, que seja suficiente para a rápida substituição de seu meio de trabalho, o automóvel, o taxista enfrentará sérios problemas de ordem financeira.

Através da contratação de um seguro é possível transferir parte desse risco para um terceiro, uma seguradora, através do pagamento de uma compensação financeira, chamada de prêmio de seguro.

Voltando ao nosso exemplo anterior, uma apólice de seguro pode fazer toda a diferença entre a ruina e a continuação normal da vida do nosso personagem. Caso nosso taxista possuísse o seguro de seu automóvel, bastaria acionar a seguradora em busca da indenização correspondente, o que possibilitaria a aquisição de um novo automóvel.

Outro exemplo prático é o caso de uma família cuja única fonte de renda dependa exclusivamente de uma pessoa. Caso essa pessoa venha inesperadamente a falecer, tal família perderá sua única fonte de renda e, caso tal família não possua uma polpuda reserva financeira, estará sujeita à falência e à ruína. Um bom seguro de vida, nesse caso, poderia trazer um alívio financeiro, permitindo a essa família o suporte e o tempo necessário para se reorganizar e se reerguer.

O risco, como vimos, é a base de todo o contrato de seguro. As seguradoras são especialistas em risco, avaliando a probabilidade de ocorrência de tais riscos e o custo de reparação, quando tal risco se materializa. Aliás, a título de curiosidade, chamamos de sinistro a ocorrência de um risco coberto por uma apólice de seguro.

Torcemos para que nossos leitores fiquem longe dos sinistros da vida. Mas, caso eles aconteçam, que sejam cobertor por um bom seguro.

Artigo escrito por Flávio Girão Guimarães.

Outros ativos interessantes:

Seguros: gerenciamento de risco