quarta-feira, 19 de junho de 2013

Fundos de Fundos Imobilários - Parte VI da série FII

No artigo A vantagem da diversificação apresentamos os prós e os contras da aquisição de um Fundo de Investimento Imobiliário (FII) quando comparamos com a compra direta de um imóvel. Só pra lembrar, adquirindo um FII o investidor evita aborrecimentos com inquilinos ou imobiliárias, não precisa pagar o IPTU sobre a propriedade do imóvel e tampouco o IR pelo aluguel recebido. A compra do FII também reduz os riscos de vacância, inadimplência e liquidez.

Mas, como explicamos no artigo Quais as principais categorias de Fundos de Investimento Imobiliário – FII, os FII podem ser classificados como: FII de Renda e Aluguel, Fundos de Desenvolvimento Imobiliário, Fundos de Investimento em Títulos Imobiliários. Para complicar, cada uma das categorias acima pode ser subdividida em outras subcategorias. Por exemplo, os FII de Renda e Aluguel por vezes adquirem várias salas comerciais, já outros FII adquirem lojas de shopping centers. São comuns os FII que adquirem agências e, por fim, há também os FII que adquirem um único imóvel, para alugar para um único cliente, tal como o exemplo do FII que constrói e aluga um único prédio voltado à instalação de um hospital, tal como o exemplo do artigo A vantagem da diversificação.

Diante de tanta diversidade, surge uma quarta categoria de FII, que pode ser uma alternativa interessante, os Fundos de FII.

Os Fundos de FII são adquirem e vendem livremente cotas de outros FII, utilizando uma lógica semelhante à lógica dos fundos de fundos em renda fixa ou renda variável, ou seja, o gestor do fundo de fundos adquire as cotas dos FII que consideram abaixo da cotação justa e vendem as cotas dos fundos que consideram sobrevalorizados. Desta forma, o gestor do fundo de fundos pode transitar livremente entre os FII, independentemente de sua classificação.

Para quem quer formar uma carteira de longo prazo e se preocupa com a diversificação, visando diminuir o risco, os Fundos de FII podem ser uma boa solução. A formação de um portfólio diversificado demanda tempo e dinheiro, requer estudo e um acompanhamento minucioso do mercado. Para quem não tem tempo e/ou não queira estudar este mercado, os Fundos de FII podem ser uma alternativa, pois seu portfólio já é diversificado por natureza.

Assim, um fundo de fundos em FII ora pode estar concentrado em FII de Renda e Aluguel, ora concentrado em FII de Desenvolvimento Imobiliário, ora em FII de Investimento em Títulos Imobiliários. Assim, cabe ao gestor do fundo de fundos em FII avaliar a capacidade de gestão dos demais gestores de FII.

Importante ressaltar que este artigo é meramente informativo e não deve ser considerado como recomendação de investimento, nem deve servir como única base para tomada de decisões de investimento. Antes de efetuar seus investimentos em FII e, para melhor entendimento dos riscos e benefícios de tal modalidade de investimento, recomendamos a leitura cuidadosa dos regulamentos do FII, bem como a leitura de outros artigos sobre FII, a realização de cursos e consulta à outras fontes de informação.

Artigo escrito por Flávio Girão Guimarães e Gustavo Cunha Garcia.

Outros artigos da série sobre FII:

Parte I - Quer investir em imóveis? Conheça os FII;
Parte II - Como funciona o Fundo de Investimento imobiliário (FII);
Parte III - Quais são as principais categorias de Fundos de Investimento imobiliário - FII?;
Parte IV - A vantagem da liquidez dos Fundos de Investimento imobiliário - FII;
Parte V - A vantagem da diversificação dos Fundos de Investimento Imobiliários - FII.