terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Títulos prefixados: comprar, vender ou carregar, eis a questão!

Vai subir ou vai descer?
Fomos presenteados com uma intrigante pergunta na área de comentários do artigo Rentabilidade e risco passado do Tesouro Direto que gostaríamos de compartilhar com os demais leitores:

"É correto afirmar que: caso a expectativa de inflação/juros aumente, títulos prefixados como as LTN e as NTN-F deveriam ser imediatamente vendidos ao invés de carregá-los até o vencimento?"

Sim e não. Explico: se você está especulando no curto prazo com títulos prefixados, tais como as Letras do Tesouro Nacional (LTN) e as Notas do Tesouro Nacional - Série F (NTN-F) e não pretende carregá-los até o vencimento, você deve se preocupar com as variações da taxa de juros, comprando os títulos quando sua expectativa é de queda das taxas, e vendendo os mesmos quando você tem expectativa que os juros vão subir (para conter uma alta da inflação, por exemplo). 

Porém, se você pretende carregar os títulos até o vencimento, sugiro que você não tente especular comprando e vendendo os títulos sempre que suas expectativas mudarem de direção, pois, é muito comum errar o momento certo de comprar e vender os títulos e, assim, ao invés de ganhar com a especulação, você acaba perdendo com a mesma. 

Lembro também que, além de você e eu, o mercado é composto por uma infinidade de investidores, muitos deles profissionais, que possuem um conjunto quase ilimitado de informações e conhecimentos que investidores comuns, como eu e você, não possuímos. Por essa razão é muito difícil "bater" o mercado. 

Além disso, lembre-se que o Imposto de Renda sobre o ganho de capital obtido com a aquisição de títulos públicos tem alíquotas decrescentes, de acordo com o prazo de manutenção dos títulos com você. Se você compra e vende os títulos públicos constantemente, estará sujeito à alíquota mais elevada de IR, 22,50% sobre o ganho de capital. Para maiores detalhes, leia o artigo Tributação de investimentos - Tesouro Direto

Por fim, eu indico os títulos prefixados os investidores que tenham compromissos em data futura certa, tal como a entrada de um imóvel (ou o pagamento das chaves), o pagamento de uma dívida, da faculdade de um filho etc. Como o valor dos títulos prefixados já é sabido de antemão, é fácil calcular quantos títulos serão necessários para cumprir o(s) tal(is) compromisso(s).

Artigo escrito por Flávio Girão Guimarães.

Quer saber mais sobre o Tesouro Direto e os títulos prefixados? Sugerimos os seguintes artigos já publicados no ABC do Dinhero: